Organograma corporativo moderno: onde está a TI?

Fonte: https://br.depositphotos.com

E não é que as coisas mudaram?

Lembro que trabalhávamos em ilhas, separados por enormes paredes e a comunicação era bem difícil…

Depois de algum tempo, e muitos modismos depois, entenderam que a nova melhor forma de trabalhar era em equipes multidisciplinares, o que não passa de juntar uma turma com habilidades diferentes para trabalhar orientado a metas e objetivos…

Mais um tempo se passou e então surgiu a expressão: “o mundo é plano!”; nossa! E a partir daí essa máxima atacou as empresas de uma forma jamais imaginada… a nova onda era trabalhar em lugares sem barreiras físicas entre as equipes, de forma que fosse possível enxergar todos os funcionários…

Bom, tenho percebido que a ideia agora é espalhar as habilidades nos mais diversos departamentos, ou seja, treinar funcionários além de seus conhecimentos específicos…

Vejo essa nova onda com bons olhos. Acredito que um funcionário mais generalista consiga transitar melhor em várias frentes de trabalho. Não que os especialistas estejam com os dias contados, mas que novas habilidades, principalmente as interpessoais, são necessárias para uma boa saúde empresarial.

No alto escalão a mudança também é perceptível, os diretores e presidentes desejam a adequação a uma forma mais leve e moderna de trabalho.

E onde a TI fica nisso tudo?

A resposta não é simples, mas tenho treinado meus colaboradores em diversas vertentes. Quero apresentá-los ao novo e moderno organograma.

A história da Heineken

Autora: Barbara Smit

Editora: Zahar

O livro é muito bom!

Não dá para perceber a dimensão de uma empresa desse tamanho, não apenas em faturamento, mas também em importância.

A Cervejaria Heineken tem negócios em todos os cantos do planeta e a forma como essa empresa familiar cresceu através de épocas muito difíceis é interessantíssimo.

Gostei muito e recomendo.

O lado difícil das situações difíceis.

Autor: Ben Horowitz

Editora: WMF

No começo achei que seria mais um livro tragicômico sobre o mundo corporativo, no entanto, essa opinião dissipou-se em menos de um capítulo.

Gostei muito! Em resumo, é uma espécie de manual sobre como entender (e até sobreviver!) as inúmeras tempestades corporativas nas quais um alto gestor de empresas deve passar.

Desde o entendimento sobre sua própria equipe, até os momentos mais difíceis, tais como: repensar o próprio emprego, demitir funcionários estratégicos que não estejam mais a fim de progredir em suas carreiras, e até vender a própria empresa.

Vale a pena ler esse livro e perceber que afinal, você não está sozinho no meio desse turbilhão de problemas…

Por que fazemos o que fazemos?

downloadAutor: Mário Sérgio Cortella

Editora: Planeta

Afinal, o que o Dr. Cortella está fazendo aqui? O que tem a ver essa obra com o mundo de tecnologia?

A resposta é: tem tudo a ver!

Esse livro é um ótimo referencial para o profissional, seja de tecnologia ou não, pensar em seu momento no ambiente de trabalho.

Pode parecer piegas, mas equilibrar a balança entre trabalho, lazer, estudos, etc., pode ser inimaginável para a maioria dos executivos que conheço.

É preciso repensar essa relação para que sejamos mais produtivos em nossas atividades profissionais e ao final do dia de trabalho encontrar forças, pois o que costumo encontrar são pessoas extenuadas, para continuar sua vida pessoal…

Procure o elo de ligação consigo mesmo, faça coisas das quais goste: um novo idioma, um exercício físico adequado à sua idade, enfim, seja feliz na sua vida pessoal, pois certamente isso irá alavancar sua carreira profissional de uma forma que nem mesmo você sabia que era possível!

Obrigado ao Dr. Cortella por essas dicas.

 

O perfil do líder atual.

LiderEstá mais difícil liderar sua equipe? As pessoas estão mais exigentes em relação ao cargo de liderança? Estão impacientes sobre modelos antiquados onde o gestor (líder) apenas “ordena” e não está alinhado com as expectativas individuais e coletivas do grupo?

Perguntas difíceis de responder prontamente.

Tenho observado uma “evolução” no perfil das pessoas que compõem as equipes com as quais trabalhei (e trabalho). Para liderar seu time é necessário estar presente no cotidiano de cada elemento, participar de forma ativa, delegar com responsabilidade, cobrar resultados (mas nada absurdo) e principalmente: saber ouvir! Os talentos individuais precisam ser estimulados de forma a colaborar com a inteligência coletiva da equipe. Não raro, os talentos evadem de uma corporação com o discurso de que não foram aproveitados ou não possuíam um ambiente estimulante onde os desafios e a meritocracia sejam reais, bem como as recompensas de um bom trabalho…

Aparentemente são os principais pontos que identifiquei acompanhando minhas equipes.

A fidelidade corporativa não existe mais, o que ficou é a fidelidade às pessoas com as quais trabalhamos. Conquistar isso é um raro exemplo de sucesso para os líderes.

O perfil de um líder atual precisa estar alinhado com desenvolvimento individual constante, gostar de trabalhar com pessoas, possuir uma “linha mestre” com sua própria ética profissional e pessoal, ter ciência de que o trabalho é possibilitar aos seus liderados que eles possam fazer o que são melhores, com apoio e supervisão para que todos saibam onde é o “norte”.

Enfim, ser líder não é uma tarefa fácil. Se você possui algumas das características acima, seja bem-vindo. O mundo precisa de líderes cada vez melhores. Seja um deles!!!