52 Bons Hábitos de Gestão, Liderança e Relações Humanas

51ZENu0Vz0LAutor: Rodrigo Vargas

Editora: Edição do Autor; Edição: 6 (23 de maio de 2012)

Achei bem interessante!

Essencialmente aborda ações do cotidiano que certamente pessoas em cargos de liderança praticam, mas é bom ler um pouco sobre essas práticas, pois sempre existem pequenas dicas que podem ser valiosas.

Gostei da dica sobre manter-se calmo em situações de stress.

Vale a pena.

Como se tornar inesquecível

thAutor: Dale Carnegie

Editora: Companhia Editora Nacional

Particularmente não gostei! O que não significa que o livro seja ruim…

Na minha opinião a obra não “encaixa” em um contexto moderno, pois os conceitos são um pouco antiquados e as frases de efeito seguem na linha da motivação sem um “direcionamento”.

O assunto que o título do livro menciona (uma pessoa inesquecível) é abordado pela visão do “ser humano em busca da elevação moral”, o que o autor chama de pessoas de “classe”; no entanto para os leitores estrangeiros (fora dos EUA) os exemplos citados parecem um pouco “bairristas” e pode ficar difícil visualizar um paralelo com o tema.

Deixo um recado para os leitores dos meus posts: não fiquem satisfeitos ou sejam influenciados pela minha opinião! Leiam o livro e tirem suas próprias conclusões.

Como ensinar liderança a alguém?

businesswoman drawing plan of Audit

Ultimamente tenho dispendido boa parte de meu tempo livre a aprofundar meu entendimento sobre alguns assuntos que considero importantes; “Liderança” é um deles!

Adquiri alguns livros “campeões” nesse tema e venho reciclando meu próprio ponto de vista. Um pouco de novidade não faz mal a ninguém…

No entanto, é necessário visualizar com moderação as situações expostas ou receitas prontas, coisas do tipo: “a última palavra sobre liderança”, entre outras mais.

Como disse, através dessa atualização pude perceber que “medalhões” sobre o tema ainda são muito válidos e que pouco mudou, apesar de termos gerações mais “velozes” trabalhando em nossos ambientes corporativos.

E é nesse ponto que entra a tal “atualização”!

Como liderar esse pessoal que já nasceu usando um tablet e tem tudo à disposição. Que considera aprender por osmose, pois alguns (pelo menos os que conheço) dedicam pouco tempo a aprofundar seu conhecimento sobre determinados temas e que usa ferramentas de busca na internet para descobrir temas que pelo menos em parte já deveriam vir de “fábrica”?

Essa resposta é bem mais profunda do que parece; formar um líder para o tempo em que vivemos está cada vez mais difícil.

Praticamente precisamos de um “Einstein” do relacionamento ou um “Beethoven” da gestão e não me venha com menos!

Há algumas semanas estou empenhado em passar um pouco da experiência que possuo para alguns de meus colaboradores; estou focando em conceitos dos quais considero muito importantes, tais como: integridade, ética pessoal, transparência, senso de coletivo, liderança através de exemplo, gestão do tempo e dedicação ao próprio trabalho.

Imagino que em posse dessas “ferramentas” a pessoa consiga se destacar dos seus pares e ser percebido, pois afinal, as empresas são feitas de pessoas…

O resto? Bom, os livros estão aí para isso mesmo!

Obs.: a imagem usada nesse post foi adquirida aqui.

Levando as pessoas com você

thAutor: David Novak

Editora: HSM

Gostei muito de ler esse livro. O autor é um renomado palestrante e ministra um curso com foco em liderança com o mesmo nome do livro.

Ele expõe de forma simples alguns métodos para atingir metas, bem como alinhar sua equipe com a visão estratégica da empresa.

No princípio confesso que achei um pouco de exagero as relações finais em cada capítulo com alguns “exercícios” para por em prática o que foi lido, mas abstraindo um pouco desse “chavão” o livro ganha em ideias que podem ser aplicadas (desde que adaptadas para a realidade de cada um) em qualquer ambiente empresarial.

Recomendo.

Investir nos talentos de sua equipe… Isso sim é liderança!!!

7658149332_2026323126_zRecentemente estive procurando uns cursos para alguns membros de minha equipe visando eliminar umas lacunas de conhecimento e após uma semana consegui chegar a um denominador comum…

Levei o investimento para a diretoria e sem pestanejar tive o orçamento aprovado em uma rápida reunião.

As vezes me impressiono com a “visibilidade” de longo prazo que alguns diretores possuem, pois não dá pra explicar através de números qual será o retorno para a empresa de um curso para um de nossos funcionários…

O único questionamento que tive foi a clássica pergunta: “e se as pessoas nas quais estamos investindo forem embora?”; respondi com o mais clássico “chavão” que sempre vejo nas redes sociais: “chefe, eu ficaria mais preocupado se não fizéssemos nada e ainda assim eles ficarem trabalhando conosco!!!” – acredito piamente que uma pessoa que recebeu um “investimento” desse tipo pensaria duas vezes antes de ir para novos rumos corporativos…

Definitivamente, preparar sua equipe através de investimentos pontuais e um planejamento conjunto não tem nenhum mistério. No meu ponto de vista, isso estreita os “laços” do funcionário com a organização, pois ele (o funcionário) se sente parte do todo e começa a entender que é importante para a concretização do planejamento estratégico.

Pode parecer um gesto simples, mas os resultados são excelentes, para ambas as partes (empresa e funcionário); é a tão esperada relação “ganha-ganha” da qual sempre ouvimos falar mas temos poucos exemplos.

Estou muito satisfeito com o desempenho da empresa, da diretoria, dos funcionários e por que não, com o meu próprio desempenho; me esforço muito para cumprir minhas promessas, mas se você não tiver o apoio necessário será apenas uma gota no oceano…

A imagem usada nesse post tem licença Creative Commons e pode ser encontrada aqui.