Direito autoral na Internet. Existe?

Direito autoral

Cada vez mais me atenho a um problema comum no uso da Internet. Frequentemente as pessoas que conheço me questionam sobre o uso indevido de imagens, vídeos e textos através de sites, blogs e afins…

Realmente a “briga” nesse campo é dura. Costumo iniciar a conversa com uma breve visão do lado “do autor” do conteúdo, onde houve um investimento, seja ele financeiro, tempo ou recursos, para a preparação de um material com certa qualidade (outras vezes nem tanto), uma sequência de esforços para a publicação desse conteúdo gerado e por fim a divulgação através dos diversos canais existentes… Até aqui tudo vai muito bem e percebo inúmeras cabeças concordando com meu ponto de vista!

A próxima “visão” que tento apresentar é a do usuário de Internet, onde ele possui um universo de conteúdo, tudo isso disponível através de um simples “copy and paste”; qual o problema de apropriar uma imagem legal, uma música “maneira”, uma citação que é a “minha cara”? Jogar isso na minha própria página e…. bem… Colocar meu próprio nome como crédito, afinal tive um enorme trabalho em procurar esse conteúdo no Google e preciso ser reconhecido como um cara antenado!

É aqui onde mora o problema. Na simples ideia de dar crédito a quem não é de direito (talvez o nome direito autoral remeta a isso?); ao final dessa conversa, quem estava concordando comigo cerra os olhos e fica imaginando o quão limitado sou… O pensamento divaga e visivelmente elas lembram dos inúmeros filmes, músicas, jogos baixados através dos “maravilhosos” programas torrent.

Em suma; direito autoral somente existirá quando as pessoas que utilizam a Internet entenderem que o conteúdo existente por lá é para ser explorado, porém os créditos, o dinheiro e o respeito que existe no mundo real deve continuar seguindo o padrão, caso contrário a Internet seria uma grande chatice…

Saiba mais sobre Creative Commons.

Obs.: As imagens utilizadas em meus posts são obtidas através dos modelos creative commons. Pense nisso!

Equipes de alto desempenho: “um por todos…”

Equipes alto desempenho

Recentemente passei por uma experiência no mínimo “interessante”…

Em um projeto com prazo ambicioso (sem nenhuma novidade em se tratando de projetos) eu precisava encontrar um fator no qual a concentração de esforços fosse maximizada em torno dos “momentos principais”, visando garantir dessa forma um rápido e eficiente desempenho para que a sequência final dos trabalhos não sofresse alguma dependência em nível de esforço.

A solução foi apostar nas características individuais do time alocado para a execução dos trabalhos.

Basicamente havia três momentos do projeto:

  1. A prospecção dos fornecedores, com todo o trâmite comercial de análise para propostas, negociações buscando equilibrar os valores e assinatura dos contratos visando assumir o compromisso com o tempo necessário para entrega de todos os materiais envolvidos;
  2. A “obra estrutural”, onde a estrutura física iria passar por pequenas (mas importantes) alterações e;
  3. A implantação dos equipamentos e execução dos serviços (equipes internas e externas).

Com base nesse esboço do projeto, iniciei a identificação do skill necessário dentro de meu próprio time.

Para minha surpresa, acabei encontrando cada “elemento”, ou elo dessa corrente… Percebi que as pessoas possuem algumas capacitações “não formais” que as qualificam a executar tarefas em níveis e velocidades diferentes, levando em conta apenas essa “bagagem” individual.

Imediatamente lembrei de um livro que acredito ser uma obra obrigatória a todo gestor, “Inteligência Emocional” do Ph. D. Daniel Goleman

Realmente fez sentido todo o contexto explicado por Goleman, encontrei um ótimo “burocrata” que me auxiliou na primeira fase do trabalho, encontrando os mínimos detalhes do que era necessário adquirir, quais fornecedores contatar e no acordo de prazos.

A outra pessoa descoberta foi um excelente “hands on” que foi crucial na comunicação com a equipe de obras e manutenção.

Por fim faltava a “cereja do bolo”, uma pessoa que tivesse um elevadíssimo nível de compromisso com a entrega e com o prazo; mais uma triagem e ali estava a “peça” que faltava. Essa pessoa finalizou comigo os trabalhos que por vários dias avançaram horas a fio.

Em suma, todo um embasamento teórico foi aplicado com enorme sucesso. Fiquei realmente feliz de ter apoiado meu planejamento em questões comportamentais.

Percebi ao final que Goleman ganhou mais um fã ardoroso de sua obra (já estou seguindo ele através do LinkedIn)…

Estratégia em mídias sociais

Estratégia em mídias sociaisAutor: Fábio Cipriani

Editora: Elsevier

O autor possui grande experiência internacional e trabalha a bastante tempo com mídias sociais.

É muito interessante entender a linha de raciocínio onde ele apresenta um modelo de implantação para uso corporativo de mídias sociais.

Achei o livro excelente. Ampliou um pouco o horizonte e a percepção que possuo sobre o tema e pretendo pôr em prática muitos dos ensinamentos que vi na obra.

Quem tiver interesse pode encontrar mais informações no site do autor: FabioCipriani.

A difícil arte de liderar.

liderarUltimamente tenho percebido que muitos “gurus” têm surgido quando o assunto liderança é abordado.

No entanto, sem contar com os costumeiros “chavões”, o que realmente se pode esperar de um líder?

Concordo que não é um tema simples, mas no meu entendimento ser líder é antes de tudo entender de pessoas. Conhecer os limites de cada um, o que os motiva e acima de tudo: saber o que seus liderados esperam do seu papel como líder…

Essa é a parte mais difícil da arte de liderar. Fazer com que as pessoas gostem do seu papel, de seu engajamento e antes de tudo o respeitem como indivíduo.

Isso tudo não possui uma receita a ser seguida, mas começa obrigatoriamente com o diálogo. Nunca pense que alguns minutos de conversa com as pessoas de sua equipe, empresa ou comunidade é um tempo desperdiçado. Somente dessa forma conseguirá avaliar o grau de envolvimento de cada elemento que compõe o grupo e fica um pouco mais fácil determinar o tamanho do esforço que o papel do líder precisará dispor.

Em suma: acredite nas pessoas.

Dê à elas um pedaço de trabalho a ser compartilhado com o grupo; faça-as sentir a importância do papel desempenhado para a realização do todo.

Ser líder não é fácil, mas é o trabalho mais empolgante do mundo!!!