C@$h!: Como criar negócios altamente lucrativos na internet

C@shAutor: Joel Comm

Editora: Gente

Achei muito interessante.

Até o “capítulo 4: Infoprodutos – comercializando seu conhecimento” (o livro tem ao todo 8 capítulos) tudo o que foi escrito, em minha opinião, pode ser aplicado de forma consistente e imediata.

A partir dali o autor apresenta dicas que dificilmente podem ser aplicadas no contexto nacional, pois são desconhecidas para nós brasileiros.

O Joel Comm é um renomado marqueteiro, entusiasta de mídias sociais e um grande autor de livros (a vendagem de seus livros é enorme).

Vale a pena segui-lo no Twitter, pois ele sempre posta assuntos interessantes.

Site da editora: Gente

Chegamos ao “Eu social”

2003-09-23_Convenience_of_a_cell_phoneNo começo da semana eu estava muito preocupado com alguns projetos que necessariamente deveriam ser entregues no decorrer da própria semana e em um bate papo com meus colaboradores ajustamos as tarefas, as datas e os detalhes para que tivéssemos o mínimo impacto possível.

Percebi que em nossos aparelhos celulares “pipocavam” sons de mensagens, alertas e chamadas telefônicas que ficaram em segundo plano.

Ao final do dia fiz uma autocrítica e me questionei da real necessidade de estar 100% conectado ao mundo; isso porque prego a máxima utilização das mídias sociais disponíveis, adoro o “Big Data“, enfim sou um “Eu social”.

Algumas correntes de críticos pregam que tamanha exposição é prejudicial ao relacionamento “real”, pois o virtual não cumpre determinados papéis… Discordo em partes; nunca estive tão “próximo” de meus familiares distantes, eles visualizam minhas fotos (através do foursquare) e sabem o que estou aprontando, acompanham minhas ideias através do Twitter e podem dar palpites, já mandei até receita de torta de rim (kidney pie) para minha avó (e olha que ela tem quase 80 anos)…

Enfim, ao final de minha autocrítica descobri que estamos em pleno processo evolutivo. Encontramos uma nova forma de nos relacionarmos e muito em breve encontraremos o meio termo da utilização de todo esse aparato tecnológico que nos expõe ao mundo em questão de segundos… até lá continuarei fazendo check in para ganhar alguns badges!!!

Obs.: a imagem usada nesse post possui licença Creative Commons.
http://commons.wikimedia.org/wiki/File%3A2003-09-23_Convenience_of_a_cell_phone.jpg
Pratique o direito.

Preparar-se para falhar? Como assim?

FailRecentemente tive um contratempo em meu projeto profissional; me preparei para uma certificação (ITIL Intermediate – OSA) e caí no erro primário de todo candidato: “o pecado capital da soberba”!!!

Apesar desse post não tratar de espiritualidade apoio meu discurso nesse “problema”.

Acreditei que o ritmo de estudos “puxado” (dormia algo em torno de 3 horas por noite durante duas semanas) estava rendendo o suficiente para obter o score necessário à aprovação.

Resultado: no dia da prova estava cansado, não apenas fisicamente, pois a rotina de um departamento de TI sempre exige muito de seus gestores, mas também mentalmente; as certificações ITIL do nível intermediário (e todas as superiores) não exigem que o candidato decore os modelos, textos, etc., mas que o mesmo possua uma alta capacidade de discernimento para aplicar os padrões e melhores práticas que a biblioteca possui…

Fiquei frustrado ao finalizar a prova e olhar o resultado em tela, pois atingi uma pontuação tão próxima do nível que parece brincadeira (score necessário para aprovação: 28 pontos / meu score: 27 pontos); mas logo ao desligar o notebook comecei a questionar o motivo de ter falhado…

Ficou evidente que minha pressa e sobrecarga de estudo não fez bem!

Aprendi uma valiosa lição: não tenha pressa para atingir seus objetivos, apesar das metas envolverem tempo.

Acredito que a partir de agora estou um pouco melhor preparado no caso de falhar. Não sinta-se desmotivado ou com a sensação de perda de tempo; tire suas conclusões e faça autocríticas construtivas.

Se estiver preparado para “falhar” a vitória estará mais próxima com certeza!!!

Obs.: a imagem inserida neste post possui licença Creative Commons e pode ser encontrada em: 
http://hans.gerwitz.com/2011/03/07/fail-stamp.html
Pratique o direito!

Google course-builder… Use sem moderação

Course-builderSabe aquela vontade de criar um cursinho para seus amigos de trabalho?

Melhorar a apresentação de algum recurso técnico através de um treinamento específico na intranet de sua empresa?

O course-builder da Google (em colaboração com a edX) disponibiliza uma ferramenta que não fica em nada atrás das pagas.

Uma plataforma open source que dá muita flexibilidade para criar um curso com boa qualidade.

Recomendo instalar e se divertir criando seus próprios cursos. Aos poucos a qualidade melhora e pode ofertar para sua equipe criar treinamentos, workshops ou o que der na cabeça.

30 dias para arrasar nas mídias sociais

30 diasAutor: Gail. Z. Matin

Editora: Best business

O autor é um renomado palestrante e especialista em marketing; apresenta de forma fácil um “programa” de 30 dias visando melhorar sua imagem on-line. Faz isso através de um plano de ação simples e em minha opinião, muito eficaz.

Apresenta aos poucos as principais ferramentas de mídias sociais disponíveis e suas diferenças. Um dos pontos fortes é com certeza o capítulo sobre o LinkedIn.

Vale a pena entender a aplicação de um plano estruturado através das mídias sociais atuais.

Gostei muito e recomendo a leitura; não apenas aos que pesquisam (como eu) sobre o  tema, mas também à quem tenha interesse em entender um pouco melhor esse “novo mundo social”…

Site da editora

 

Usando os recursos oferecidos através da Internet

7176474456_86a72ab577_zManter-se atualizado é um desafio constante para profissionais de tecnologia.

Sempre brinco comentando que somos os médicos modernos, cuidamos de equipamentos que simplesmente não podem parar (alguém já viu como fica um diretor sem poder enviar e-mail?)…

Mas a falta de tempo, viagens constantes, projetos com prazos agressivos e “ainda tem a família”, que insiste em demandar interação, não podem ser um entrave em nossa busca pelo conhecimento; afinal trabalhamos com informação…

Tenho utilizado os recursos oferecidos pelo PMI, tais como o “Knowledge Center” e os webinars das “Community of Practice” e confesso que fui salvo algumas vezes por usar algum tempo livre (entre clientes, ou projetos) para abordar determinados temas de meu interesse.

Por esses motivos recomendo a filiação. Ela traz uma série de recursos, network e descontos em publicações.

Utilizo muito alguns canais do YouTube, e sempre me surpreendo com a melhora na qualidade do material.

Pesquiso constantemente sobre métodos ágeis de gestão e como não tenho tempo (e dinheiro) para ir a todas as conferências que gostaria o YouTube me dá uma grande força.

Recomendo em especial o canal de Oleg Nesterov e o vídeo de uma convenção sobre “Agile Engineering Practices” (sob licença Creative Common)

Obs.: a imagem usada neste post usa licença Creative Common 2.0  ¹

Imagem disponível em: Olga Berrios.

¹You are free to:
Share - copy and redistribute the material in any medium or format.
Adapt - remix, transform, and build upon the material for any purpose, even commercially.