Gerenciamento de Portfólios, Programas e Projetos nas Organizações

Autor: Darci Prado

Achei a obra “pesada”. Mesmo para quem é profissional de projetos.

Os assuntos são abordados de forma linear e a complexidade acompanha.

Darci Prado é uma lenda quando o assunto é gestão de projetos e suas ramificações.

Aconselho a ler os outros livros da série para vislumbrar todo o panorama. Ao final do livro o autor apresenta uma ordem de leitura que ramifica em duas vertentes: Gerentes de Projetos e Coordenadores de PMO.

Recomendo para dar um refresh nos conceitos fundamentais do gerenciamento clássico de projetos.

A “nova” forma de fazer negócios…

Quem nunca indicou um bom fornecedor que “atire” a primeira pedra!

Acredito que todo gestor que preze pela sua própria reputação possui uma whitelist, mesmo que seja de forma não intencional, ou seja, uma listagem com seus melhores e mais confiáveis fornecedores…

Tenho percebido cada vez mais a velocidade dessas relações, onde novos players entram em cena para os mais diversos tipos de serviços e / ou produtos; uma fonte da qual não há escassez é o LinkedIn. Boa parte de meu networking está lá e praticamente não conheço nenhum profissional que não possua pelo menos um perfil básico nessa rede social com propósito corporativo.

Bons negócios tiveram seu início em mensagens trocadas através do LinkedIn, falo por experiência própria!

Um dos princípios básicos que me leva a manter um bom relacionamento com um novo fornecedor, e a consequente inserção em minha “lista”, é acima de tudo um profissional que possua muita empatia; que consiga abstrair um pouco a pressão dura e constante de suas metas comerciais e esteja disposto a me ouvir. Ouvir a estrutura de meu planejamento (sou muito bom nisso!) e onde ele pode encaixar seu serviço (ou produto)… apenas isso!

Parece simples, mas não é! Encontro aos montes profissionais apressados em fechar negócio sem ao menos entender do que se trata o meu negócio… costumo apresentar de forma estruturada meu planejamento de médio e longo prazo para facilitar a negociação, mas na maioria das vezes parece que estou falando com um aluno no início do fundamental.

Sem contar as “forçadas” de barra; distribuição de presentes (brindes) e mais um arsenal de atitudes que para um cliente incauto podem encher os olhos!

Sou filiado ao PMI  a mais de 10 anos e sigo seu código de ética (recomendo ler e entender), pois praticar esse código pode lhe dar uma “liberdade” profissional sem precedentes, suas decisões serão pautadas por uma visão mais clara dessas relações.

Isso soa antiquado?

Bem-vindo a nova forma de fazer negócios!

A força do “carimbo”!!!

females hand putting stamp on a document, close up

Recentemente tive uma desagradável experiência em tramitar alguns documentos pessoais; coletei todos os papéis necessários, e olhe que eram muitos, sistematicamente separei-os em uma pasta, aquelas bonitas, plastificada e no dia agendado compareci ao departamento escolhido.

O funcionário prontamente separou os pedacinhos de papel (os documentos bem que poderiam ser um pouco maiores) e ao final da longa conferência explicou que estava faltando um “carimbo” em um dos documentos; resultado, novo agendamento, gastar mais um pouquinho de dinheiro, isso sem falar na “perda de tempo” para resolver esse caso…

Bom, não mudei o tema das minhas postagens para um site de reclamação ou fofocas; faço aqui um paralelo com o mundo dos projetos, do qual muitas vezes nos perdemos em uma infinidade burocrática em que qualquer gerente de projetos ficaria calvo em menos de uma década!

Gosto muito dos métodos ágeis de gestão para projetos, não pela velocidade (o que por si só já seria um ótimo diferencial), mas pelo pleno entendimento do que é realmente necessário (falando de documentação) ao tamanho de cada projeto. Talvez seja esse um dos motivos que está trazendo cada vez mais gestores de projetos para os métodos ágeis; o próprio PMI criou uma certificação chamada PMI-ACP® (PMI Agile Certified Practitioner), vale muito a pena dar uma olhada e quem sabe certificar-se (eu mesmo estou tentado a fazê-lo, mas antes vou concluir as certificações que me credenciam a ser ITIL Expert).

Sei muito bem que nós (os gerentes de projetos, TI, etc.) adoramos um certo trâmite de documentos, uns carimbos nos papéis e um pouco de workflow, mas sejamos razoáveis, essa “flexibilidade” é necessária…

 

Usando os recursos oferecidos através da Internet

7176474456_86a72ab577_zManter-se atualizado é um desafio constante para profissionais de tecnologia.

Sempre brinco comentando que somos os médicos modernos, cuidamos de equipamentos que simplesmente não podem parar (alguém já viu como fica um diretor sem poder enviar e-mail?)…

Mas a falta de tempo, viagens constantes, projetos com prazos agressivos e “ainda tem a família”, que insiste em demandar interação, não podem ser um entrave em nossa busca pelo conhecimento; afinal trabalhamos com informação…

Tenho utilizado os recursos oferecidos pelo PMI, tais como o “Knowledge Center” e os webinars das “Community of Practice” e confesso que fui salvo algumas vezes por usar algum tempo livre (entre clientes, ou projetos) para abordar determinados temas de meu interesse.

Por esses motivos recomendo a filiação. Ela traz uma série de recursos, network e descontos em publicações.

Utilizo muito alguns canais do YouTube, e sempre me surpreendo com a melhora na qualidade do material.

Pesquiso constantemente sobre métodos ágeis de gestão e como não tenho tempo (e dinheiro) para ir a todas as conferências que gostaria o YouTube me dá uma grande força.

Recomendo em especial o canal de Oleg Nesterov e o vídeo de uma convenção sobre “Agile Engineering Practices” (sob licença Creative Common)

Obs.: a imagem usada neste post usa licença Creative Common 2.0  ¹

Imagem disponível em: Olga Berrios.

¹You are free to:
Share - copy and redistribute the material in any medium or format.
Adapt - remix, transform, and build upon the material for any purpose, even commercially.