O que é “pensamento computacional”?

student and tablet in classroom

Estou engajado com uma iniciativa que tem me agradado muito…

Uso uma plataforma chamada Scratch para ensinar “computação criativa” a alunos do ensino fundamental e decidi mergulhar de cabeça para desvendar esse novo conceito (pelo menos em terras tupiniquins)!

No início foi um pouco difícil entender a dimensão do conceito, mas percebi que ele já está muito maduro e em pleno uso pelas principais escolas, universidades (sim, até elas) e institutos de educação no mundo.

Fiquei tão interessado que entrei em contato com algumas pessoas em outros países para extrair um pouco da experiência deles; fiquei muito surpreso com os resultados.

Atualmente estou trabalhando na tradução de uns documentos (com licença Creative Commons) para usar nas aulas do próximo ano (2015).

Basicamente a computação criativa está fundamentada em três alicerces:

  1. Conceitos (tais como: sequenciamento, loops, paralelismo, eventos, condicionais, operadores e dados);
  2. Práticas (experimentação, interação, teste, debugging, reuso, abstração e modularização);
  3. Perspectivas (expressão, conexão e questionamento).

Usando uma ferramenta (no caso o Scratch) para estimular e reforçar a computação criativa, tenho plena certeza que teremos resultados muito interessantes em breve; uma juventude melhor capacitada para o cidadão do nosso século!

Obs.: a imagem usada nesse post foi adquirida aqui.

Usando Scratch para estimular o “pensamento computacional”

Scratch

Entrei em contato com a plataforma Scratch  devido a uma missão para desenvolver uma ementa visando um futuro uso pedagógico.

No princípio não acreditei muito que fazer o “gato dançar” pudesse ter alguma utilidade para ensinar crianças a programar, no entanto com o uso acabei ficando surpreso (de forma positiva), pois apesar de estar disfarçada em uma aura de “brincadeira”, a ferramenta vai a fundo em conceitos plenamente utilizados, tais como: paralelismo, recursividade, variáveis, etc.

Outro recurso que achei muito interessante foi a enorme comunidade existente, é simplesmente incrível… Conversei com um professor que reside na Escócia e utiliza há muito tempo essa ferramenta. Ele é um entusiasta no uso do Scratch!

Fiquei muito interessado em me aprofundar nos inúmeros recursos disponíveis e confesso que após a conversa com aquele escocês mudei radicalmente minha visão sobre o uso de ferramentas que facilitem a explicação de conceitos tão complexos como os que estão relacionados à tecnologia.

Muito bom!