Deep & dark WEB

Autora: Barbara Calderon

Editora: Alta Books

Conteúdo muito didático! A autora não é especialista em segurança digital ou área relacionada à tecnologia, no entanto, conseguiu escrever com facilidade sobre o universo que é a Deep WEB.

Não ficou presa aos clichês sobre uso de TOR, ou ao lado mais bizarro dessa camada da Internet.

Gostei da abordagem simples, desmistificada e com foco na orientação.

Recomendo às pessoas lerem para no mínimo entender o significado dos conceitos e aplicações. Dessa forma não continuarão propagando notícias sem embasamento algum.

Deep WEB: Nadando em águas profundas…

shark-220748_1280Recentemente estive participando de um fórum virtual de segurança e o tema “Deep WEB” voltou à tona. Isso não é incomum quando pessoas preocupadas em bloquear ameaças, invasões, roubo de identidade se reúnem…

O problema é que a maioria das pessoas que usam a Internet como meio de comunicação pouco sabem do que se trata.

É certo que o sistema de indexação e rankeamento de páginas protagonizado pelo Google (e praticamente todos os motores de busca) facilita muito a vida das pessoas em busca de informação rápida; porém isso é algo em torno de 1% do que realmente existe no “oceano da WEB”…

Os 99% restantes são páginas que estão abaixo da “surface” e com acesso um pouco mais difícil.

Muitas pessoas que querem desfrutar desse conteúdo instalam ferramentas a fim de navegarem de forma “silenciosa”, com camuflagem para não ser invadido, hackeado, etc.

O conteúdo encontrado através desse tipo de navegação é uma faca de dois gumes, tem muita coisa interessante (documentos, e-books, manuais) mas existe muita coisa inútil, perigosa e por vezes perturbadora…

Ainda estamos atrás de uma forma para melhorar um pouco a navegação nesse imenso oceano profundo, mas não será fácil; muitas pessoas preferem o anonimato de um IP alterado para se sentirem seguras de fazer coisas boas ou más…

Obs.: a imagem usada nesse post tem licença Creative Commons e pode ser encontrada aqui.

O preço do excesso de confiança…

chain-297842_1280Com o passar dos anos vamos ficando cada vez mais confiantes na forma em que executamos nossas atividades e isso é extremamente normal; o problema é que ficamos descuidados na mesma proporção.

Digo isso baseado em uma experiência que tive recentemente; sempre fui (e ainda considero essa opinião) austero quando se trata de uso da Internet, gosto muito de realizar compras (apenas em sites seguros) de livros, eletrodomésticos e outras coisas mais, pois a facilidade aliada a bons preços costuma me atrair para esse tipo de transação on-line.

Nunca tive uma má experiência em comprar on-line (ufa!), no entanto caí no “golpe da atualização do player de vídeo” … pode parecer um nome um tanto elaborado, mas basicamente aparece uma telinha pedindo uma atualização do player de vídeo embarcado em um famoso, e por muitos considerado um excelente browser, devido à velocidade, design diferenciado e por aí vão as intermináveis justificativas para termos dois (ou mais browsers) instalados em uma mesma máquina.

É nesse ponto no qual quero chegar; estamos (falo por mim e por alguns conhecidos) tão preocupados com a segurança, pois delegamos isso às ferramentas elaboradas (antivírus, firewalls …) que por vezes esquecemos do elo mais fraco da corrente: nós mesmos! Se eu não tivesse clicado na porcaria do “sim” da atualização não estaria com uma mancha em meu ego de profissional de TI e nem teria ficado um domingo inteiro formatando o notebook …

Realmente o preço do excesso de confiança é bem alto!

Obs.: a imagem utilizada nesse post é um vetorial sem direitos autorais e pode ser baixada aqui.