Terceirização em TI funciona?

Information TechnologyRecentemente tive uma discussão acalorada com um colega de profissão; o motivo era a divergência de opiniões a respeito do mesmo tema: “terceirizar o departamento de tecnologia”!

Em minha opinião existem atividades que facilmente podem ser repassadas a um contrato, desde que seja uma relação “ganha-ganha”, tais como: impressão, manutenção elétrica preventiva, etc..

Meu colega, com uma ideia um pouco mais radical (levando em conta a minha visão) imagina uma TI onde quase tudo possa repassado a empresas externas…

Para justificar minha posição relembrei que a  “cultura” nacional não é lá orientada a compromissos escritos em papeis. Por diversas vezes caí na armadilha de tentar resolver problemas simples com terceirização e me vi em tamanha enrascada que criei uma resistência natural; hoje em dia prefiro treinar, especializar e monitorar equipes internas, do que ficar em longos minutos de espera para atendimento em uma URA , lembrando que SLA é uma sopa de letrinhas e que se não for levada a sério pode dar uma dor de cabeça enorme para ambas as partes.

Outro item que me tira o sono é terceirizar pessoas, dificilmente um profissional terceirizado adquire um conhecimento da “cultura” da empresa na qual está alocado; e isso pode virar um furacão…

Enfim, ao final de nosso bate papo, descobrimos que ambos olhamos para a mesma “montanha”, só que estávamos em lados diferentes, mas no final das contas a “montanha” é mesma; encerramos nossa conversa e preferimos falar de assuntos menos polêmicos… Que tal futebol? Sugeriu ele… Bom, acho que descordo da sua opinião…

Obs.: a imagem usada nesse post foi adquirida nesse site.

#Feliz dia do programador!!!

8097327748_d4c013f2c3_zNo dia 12 de setembro foi comemorado o dia do programador!

A coisa mais interessante é que não vi grandes manifestações em torno desse ser movido a café frio, com hábitos noturnos e imensas olheiras (nem sempre dá pra terminar o projeto nas oito horas diárias previstas na legislação)…

No entanto é indiscutível a importância dessa profissão que ao longo dos anos foi galgando espaço nas empresas e diga-se de passagem, nenhuma empresa que possui um departamento de tecnologia vive sem um deles!

Fico muito contente quando encontro um bom programador e começamos uma animada conversa sobre tecnologia; por diversas vezes tenho a impressão de que consigo ler nos olhos dele: “o que esse usuário acha que sabe?”…

Na minha carreira encontrei excelentes programadores (porém eram pessoas medíocres) e atestei que apenas um bom jogador não consegue ganhar um campeonato; e é isso que um projeto de sucesso é… Uma divisão de tarefas entre pessoas (sejam programadores ou não) com mais ou menos conhecimento em determinadas áreas…

Mas hoje é dia para se comemorar, afinal não é todo dia que podemos parar de “debugar” um pouco nossos códigos…

print (Feliz dia do programador!!!)

Obs.: a imagem usada nesse post tem licença Creative Commons e pode ser encontrada aqui.

Como ensinar a nova geração?

4824411391_f3d59df446

Participei de um fórum no qual o tema era aprendizagem colaborativa, e-learning e o uso das plataformas digitais voltadas à educação.

É impressionante como mudou (e rapidamente) a forma como as pessoas estão aprendendo.

As TIC’s proporcionaram um avanço sensacional no campo da educação. Hoje qualquer pessoa pode estudar no exterior (fora de seu país de origem) sem mesmo nunca ter viajado para esse país.

Até aí tudo bem.

No entanto a discussão foi para o lado das teorias, uma delas despertou o meu interesse: como a pessoa que faz uso desse tipo de tecnologia para se aperfeiçoar faz a triagem de tanta informação disponível?

Acredito que é necessário existir um “letramento digital”; uma capacidade mínima para discernir o que é relevante nesse oceano de informação e isso com certeza pode (e deve) ser ensinado.

Outras características que precisam ser exploradas nesses “novos alunos” são: gestão do próprio tempo, resistência à frustração e capacidade de comunicação acima da média (pois seus colegas e tutores não estarão no mesmo espaço físico).

Com certeza ainda veremos muita novidade nessa área.

Estou me preparando para encarar esses novos desafios, meus pequenos alunos também.

A imagem utilizada nesse post tem licença Creative Commons e pode ser encontrada aqui.