E não é que a educação virou on-line do dia para a noite?

Fiquei pensando há alguns dias, quem foi o responsável direto pela transformação digital na minha empresa e no mundo. Certamente não foi a TI, tampouco o CEO ou a equipe de transformação digital; não, o grande responsável por tudo isso foi um vírus, um de verdade, não de computador! O grande motor para a rápida inserção do mundo da educação no ambiente virtual foi o COVID-19!

Pode parecer brincadeira, mas em pouquíssimos dias as estratégias de tecnologia convergiram para o plano pedagógico como um gigantesco tsunami! Todas as empresas do segmento educacional que conheço imediatamente acionaram seus departamentos de TI para “virar a chave” da escola: do real para o virtual.

Nem todos da minha lista de conhecidos estavam preparados ou mesmo já haviam pensado nisso, pois o cenário que estamos vivendo nunca foi antes cogitado, nem mesmo nos cursos de gestão de riscos mais puxados que já fiz.

A situação atual era impensada, pois uma doença iniciada em um continente distante rapidamente se espalhou pelo planeta, provando como estamos conectados através do comércio, turismo e ciência.

Após alguns meses em quarentena o resultado certamente é satisfatório. Conseguimos evoluir as aulas e os alunos foram pouco prejudicados. É claro que a experiência nunca será igual ao que existia antes, pois o contato físico e o convívio com os colegas fui abruptamente interrompido.

Participei como speaker em uma discussão de prováveis cenários para a retomada das aulas;

São Paulo – Brasil / 22-06-2020

Que competências em TIC são necessárias atualmente?

Cada vez mais aumenta o envolvimento da tecnologia em nossas vidas e isso não é nenhuma novidade!

No entanto tenho acompanhado algumas iniciativas de escolas, faculdades, empresas e organizações sem fins lucrativos na “jornada” que visa transformar o cidadão “comum” em um cidadão “digital”.

Eu mesmo esbocei alguns projetos voltados para esse tipo de atuação e rapidamente entendi que apenas boa vontade aliada à uma boa ideia pode não ser a solução; é preciso mais! Mais esforço, empenho de todos os envolvidos e uma considerável fatia de tempo.

Pessoalmente recomendo os canais Coursera, MiríadaX, EdX e a já consagrada Khan Academy. São excelentes iniciativas que oferecem um amplo conteúdo nas mais diversas áreas de conhecimento.

O ministério da educação do governo chileno propõe as competências “digitais” de uma forma bem clara e em minha opinião alinhada com a realidade. Certamente está no caminho certo, pois a educação em TIC precisa ser iniciada bem cedo. Visivelmente estão no caminho certo!

Vou realinhar um projeto antigo que possuo para disseminação de educação digital e tentar ajudar o Brasil a sair do “ostracismo” em que nos encontramos atualmente; não basta ter acesso à internet, é preciso saber o que fazer com ela, quais benefícios posso ter além de postar fotos em redes sociais.

Temos muita gente qualificada (e os mais preparados geralmente vão embora do país) que pode contribuir…